Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

...adaptar.

Ler. Sentir. Cuidar.

...adaptar.

Ler. Sentir. Cuidar.

Sombras_ o quarteto dos mais bem-amados.

sombras_básico.jpg

 

Andava eu a explorar a gaveta da maquilhagem e abri uma paleta da Sleek (Au naturel) que já não utilizava há algum tempo e rapidamente saltou-me uma mensagem à cabeça:

Esta paleta, por ser das mais antigas que tenho e por ter sido, durante muito tempo, a única em tons neutros... é a mais "gasta" .... E dá para perceber claramente que entre as 12 possibilidades de cores, as mais usadas foram apenas 4.   

 

- Bark (castanho escuro com fundo acinzentado - terceiro da segunda fila)

- Capuccino (o mais bem-amado de todos e mais difícil de definir... mesmo cor de café com leite que mistura tons acinzentados e amarelados de uma forma muito rica, próxima da cor de toupeira - terceiro da primeira fila)

- Honeycomb (bege um pouco mais amarelado - quarto da primeira fila)

- Nougat (branco sujo - primeiro da primeira fila)

 

Lembrei-me de uma publicação antiga - Básico - Que sombras?! - que não me deixa mentir. Nessa publicação, e para reduzir ao mínimo o número de sombras para criar uma boa dimensão aos olhos, referi 3 tons neutros, a começar por um tom bege, um castanho médio e um castanho escuro.

Ora, na leitura da minha paleta da Sleek, tenho a acrescentar um tom branco. Não o branco frozen e imaculado mas um branco sujo, de preferência matificado, como de resto é o acabamento da maioria das sombras que gosto e mais utilizo. 

 

O meu guilty pleasure de produtos e mais produtos associado a todo o marketing em torno de paletas de sombras com X cores que vão mudar a nossa vida, por vezes, pode ser descabido. Na prática, todas essas cores podem não ser tão necessárias e pode bastar bom quarteto ou um trio que nos preencha as medidas.

Não, que não goste. Logo eu, não havia de gostar de uma paleta de maquilhagem. (Cof! Cof!) Mas julgo que, entre todos os produtos, este pode ser o mais subaproveitado se tiver cores que efetivamente não usamos.

 

Cada qual se ...adapta. 

 

 

Design de sobrancelhas_ onde começar, terminar e arquear?

As sobrancelhas emolduram o rosto... Quem nunca ouviu?!

Ao longo de alguns anos a atualizar as minhas sobrancelhas de modo a aproximá-la cada vez mais daquilo que há-de ser a sobrancelha perfeita, muitas foram e continuarão a ser as tentativas e os erros. 

 

Nesta aproximação, o primeiro erro que detetei é que a sobrancelha não começava onde devia... e muito por culpa dos guias errados que ia vendo por todo o lado. Em muitos sites e imagens proliferadas pela internet está um erro que vejo ainda muita gente a seguir como se fosse o mais adequado. 

 

Muitas são as imagens que identificam que a sobrancelha deve iniciar no ponto paralelo ao ponto onde termina a narina.

Mas se pensarmos bem, existem narizes mais "batatudos" do que outros e essa diferença pode fazer com que a sobrancelha fique mais curta  e pareça que temos os olhos mais afastados. 

 

O modo mais harmonioso de iniciar a sobrancelha é encontrar o ponto que vem de uma linha reta que segue a cana do nariz.

Se houver pêlos antes, pode-se retirar. Se já não houver pêlos desde esse ponto até onde começa a sobrancelha, preenche-se  com um lápis a imitar o tom e a densidade da natural.

 

A diferença é monumental.

...Adaptar.

Brow Golden Ratio.jpg

 

 

Há-de ser meu #10

HDSM_Fotor.jpg

De um universo infindável de produtos de maquilhagem, desde os clássicos às novidades, estes são os que, reviews após reviews, entraram nas minhas notas do telemóvel para a pasta Wishlist... por serem os que melhor se adaptam ao meu estilo e gosto pessoal.

 

Inicialmente, a lista era um pouco maior mas entretanto, step by step, já tive algumas conquistas.

Review: Yves Saint Laurent Le Teint Touche Éclat

YSL1.jpg

 

Ora bem! Não será novidade para ninguém que eu sou uma (super)fã da base Touche Éclat da YSL, pelo menos para quem viu  a minha lista de favoritos de maquilhagem de 2015.

 

Daí que resolvi fazer uma review e detalhar a minha opinião acerca da base. 

 

Caraterísticas apontadas pela própria marca:

- Radiância... Check!

- Anti-fadiga... Check!

- Acabamento irrepreensível... Check!

- Leve, natural e fresca... Check!

 

Este milagre de produto tem uma fórmula aquosa, que combina com hidratantes ou primers com o mesmo registo. Apesar de ter água como ingrediente principal não é completamente líquida, como outras bases que conheço, uma vez que a glicerina existente confere uma fórmula um pouco mais viscosa.

 

YSL2.jpg

É uma base que irá fazer o seu brilharete em peles secas a normais pela sua componente hidratante e luminosa. Para peles oleosas não será aconselhável... a não ser que haja uma boa prepação com hidratante e/ou primer  e uma boa finalização com pó para selar o brilho. Para estas peles (olesosas) a base que recomendo é a YSL Fusion Ink, porque tem as mesmas propriedades mas é ligeiramente mais seca.

 

O modo como prefiro aplicar é com a beauty blenderQuando aplico com píncel, apesar de ficar bom, o acabamento não fica tão perfeito e natural.

Consigo ter uma pele de porcelana com uma cobertura média, possível de ser construída... sem nunca chegar a cobertura total.

Dentro das bases "naturais" esta deve ser a que tem mais cobertura e um acabamento mais requintado.

 

Gosto de utilizá-la durante todo o ano, se bem que acho que na minha pele a sua estação de eleição é o Outono. 

 

Se acham que se adapta... Go for it!

 

 

 

Review: Palete de sombras Urban Decay x Gwen Stefani

IMG_1598.JPG

Volvidos 9 meses após ter recebido a minha paleta de sombras da Gwen Stefani, aquela paleta pela qual eu andei a suspirar por algum tempo, julgo já estar em condições de poder transmitir uma opinião acerca dela. 

 

Só para não aumentar em demasia o suspense da situação... eu A-D-O-R-O--A!

Pronto! Já deu para perceber que o julgamento é positivo mas há mais a dizer.

 

Ao que parece, a Gwen Stefani envolveu-se a 100% neste projeto com a UD onde tudo foi construído e desenhado de forma a transmitir a sua energia e, mais importante que isso, que o resultado fossem produtos que ela realmente utilizasse, tendo em conta o seu estilo.

IMG_1606.JPG

Embalagem:

 

Toda a embalagem, desde a caixa de papelão à paleta, é super fofa, elegante, luxuosa e cheia de pinta. Ao ponto de poder ser utilizado como elemento decorativo em qualquer quarto do mundo. A paleta é de acrílico brilhante e a abertura é feita por íman.

 

 

IMG_1601.JPG

 Cores das sombras:

 

Acima de tudo, são 15 cores altamente usáveis. Mesmo as que se destacam pela diferença: Pop, Harajuku, Danger e 1987.

No seu conjunto, compõem um conjunto de neutros muito interessante.

Inicialmente, confesso ter receado que as 6 primeiras cores fossem demasiado parecidas (se pensarmos nas 3 da primeira fila e nas outras 3 da segunda) mas não são. 

 

A pigmentação é fenomenal mesmo como eu gosto, de um modo leve e discreto sem serem berrantes, bizarras ou cheias de glitter saltitão (se é que isto faz sentido). É subtil mas está lá revelando uma identidade própria.

 

Uma nota importante: Este paleta, uma vez elaborada para assentar na Gwen Stefani, é mais indicada para peles claras. Eu diria que quanto mais clara, melhor.

Depois da minha pele ficar bronzeada sinto que algumas cores não têm o mesmo impacto por não serem muito diferentes do meu tom de pele. Mas no Inverno, com a minha cor de pele mais clara, não quero outra coisa. 

 

 

IMG_1608.JPG

 Aplicação e durabilidade:

 

A aplicação é facilissíma. Nem é necessário esbater muito para que as sombras fiquem como deve de ser. Eu nem sei como explicar bem mas é como se as sombras automaticamente soubessem onde e como têm de ficar. E depois há um outro lado magnífico - elas ficam ali, não vão a lado nenhum; não passam de um lado para o outro; não evaporam; não deixam marcas como se estivesse com as pálpebras manchadas. E claro que se forem aliadas a um bom primer, melhor.

Como diz no espelho da paleta:

 

Magic's in the makeup

 

 

Manchas escuras_ como eu trato

Short story.

 

Era uma vez uma menina que iniciou a sua depilação no buço de forma caseira utilizando cremes depilatórios. Essa mesma menina tinha uma pele extremamente sensível e por essa razão o creme depilatório provocava pequenas queimaduras no buço, mesmo que fosse indicado para pele sensível.

Segue-se que a pele tem memória... E passados uns anos, com a exposição solar começou a notar-se manchas castanhas na zona do buço, que para além de inestética dá ilusão da existência de pêlo, mesmo que não haja.

 

The End!

 

E como é que essa menina atualmente procura minimizar estas manchas castanhas que têm um nome pomposo - melasma?

 

Falou com o dermatologista e também pesquisou por si própria algumas opções, o que combinou no seguinte:

 

* É obrigatório (sem desculpas) aplicar muito protetor solar com fator de proteção 50, preferencialmente. E que seja específico para o rosto e adequado ao tipo de pele. No Inverno o fator de proteção pode ser um pouco mais baixo. 

 

* É aconselhável o uso de ácido retinóide em percentagens calculadas, obviamente (entre 5-10%). Este ácido é facilmente encontrado em produtos para o tratamento de acne, de pele oleosa ou de rugas e ajuda a exfoliar a pele quimicamente, removendo as células-mortas, mais superficiais. É conveniente aplicar de forma localizada, apenas sobre a mancha e aplicar à noite, sem risco de exposição solar. Sim, porque ácidos e sol não são a melhor combinação. 

 

* É igualmente aconselhável uso e (quase) abuso de vitamina C (5-10%) importante anti-oxidante, que permite que a pele não "enferruje", envelheça e escureça. Como bónus, a vitamina C é simpática para prevenir ou atenuar rugas. 

 

* O mais óbvio será o uso de um despigmentante intensivo. 

 

Estes são os ingredientes básicos e tradicionais no cuidado do melasma, mas a verdade é que os "cientistas da pele" procuram evoluir e combinar tecnologias inovadoras na busca de uma melhor performance. Assim, alguns produtos que não tenham estes ingrientes de forma explícita também podem conhecer bons resultados. 

 

 A dica é:

consultar dermatologista + conhecer a própria pele + conhecer os ingrediente ativos no combate às manchas + pesquisar produtos + tentativa e erro (a parte mais dolorosa da soma)

 

Deixo alguns exemplos de produtos que formam os acertos dessa menina:

 

Captura de ecrã 2016-08-4, às 16.33.08.png

Captura de ecrã 2016-08-4, às 16.53.56.png

 

 

Disponível online : ISDIN - FotoUltra 100 ou ISDIN - FotoUltra 50

 

Captura de ecrã 2016-08-4, às 16.33.45.png

 

Disponível online: Bioderma - White Objective

 

Captura de ecrã 2016-08-4, às 16.34.22.png

 

Disponível online: Caudalie - Vinoperfect Antimanchas

 

Captura de ecrã 2016-08-4, às 16.34.36.png

 

Disponível online: Lierac Prescription - Despigmentante (o meu queridinho mais especial)

 

Captura de ecrã 2016-08-4, às 16.34.57.png

Disponível online: Sesderma - C Vit LIpossomal

 

Importa ler bem as instruções de cada produto e perceber que alguns deles, consoante o estado da pele do restante rosto, deve ser aplicado apenas localmente. Por exemplo, ácidos e retinol não são convenientes em zonas sensíveis ou com manchas vermelhas - rosácea ou couperose.

 

Recentemente tenho testado um CC Cream da Giordani Gold - Oriflame descrita como "patenteada Tecnologia Branqueadora e Antienvelhecimento para melhorar o tom de pele e sua luminosidade. SPF 35." que tem se revelado uma surpresa. 

 

Captura de ecrã 2016-08-4, às 16.50.39.png

 

Como se adaptam no "combate" às manchas castanhas?