Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

...adaptar.

Ler. Sentir. Cuidar.

...adaptar.

Ler. Sentir. Cuidar.

Operação roupeiro #2

roupeiro_Fotor2.jpg

 

Depois de escolher a roupa a manter no roupeiro segue-se a organização da mesma.

 

Quantas mais peças ficarem em cabide, melhor. Assim temos um acesso mais rápido a cada uma delas. 

Prefiro os cabides mais fininhos. ocupam menos espaço, logo o roupeiro suporta mais peças. 

 

Caso não caiba tudo em cabide as prioridades são (por esta ordem):

1) Casacos

2) Camisas

3) Vestidos

4) Túnicas 

5) Saias

6) Calças

7) Camisolas

 

Para mim o principal truque é o de agrupar as peças por tipo, depois por género e depois por cor. (Por exemplo, se estou a organizar os casacos, agrupo-os em sobretudos, blazers e malhas. Depois cada um desses grupos é organizado por cores, do mais escuro ao mais claro). Para além de ser mais estético quando se abre o roupeiro, facilita no momento de ir buscar a peça que se pretende.

Talvez mania a mais... mas gosto ainda de ter os cabides todos da mesma cor ou agrupá-los pelas cores que tenho. 

 

Ao passar para o assunto gavetas, prefiro-as mais largas do que altas. As gavetas muito altas permitem arrumar muitas peças de forma empilhada, é um facto. Mas as peças que ficam por baixo não são tão acessíveis e podemos até nos "esquecer" que elas estão ali. Já não te aconteceu não te lembrares de uma peça que está no fundo da gaveta?! 

 

As gavetas mais baixas permitem organizar a roupa em rolos e encaixá-la como se fosse um puzzle. ADORO esta técnica de dobrar em rolo. Uso-a sem que a gaveta me permite ;) até na gaveta da roupa interior com as cuecas e as meias.  

 

Parece que as duas demandas que se cruzam nesta etapa de organização são estética e acesso.

 

P.S. Para além de tudo isto, de alguma forma arrumar roupa parece ser terapêutico. É um 2 em 1 muito vantajoso.

 

Toca a adaptar.